Mulher em uma cafeteria le uma revista ao mesmo tempo em que acessa seu notebook e celular.

Impresso, digital ou ambos? Qual é mais adequado à sua necessidade?

Teenage girl with laptop and magazine                                                                                        

Impresso, digital ou ambos? Qual a mais adequada à sua necessidade?

Indo direto ao assunto. Com a exceção de alguns pouquíssimos felizardos, o que a maioria das empresas precisa fazer agora é aumentar as suas vendas. De sapatos a apartamentos, passando por pacotes turísticos, brinquedos e vestuário, é necessário atrair os clientes, educá-los sobre os atributos de sua venda e convence-los de que a hora de fazer aquela compra ou investir naquele sonho tantas vezes adiado é agora.

E dependendo do produto ou serviço que se venda, o tempo que se leva até uma decisão de compra pode variar de poucos segundos, ou minutos, até meses ou anos. Então, “agora” nem sempre significa imediatamente.

Então, cabe ao gestor tomar “agora” a decisão que pode impactar positivamente o futuro da empresa. A dúvida é como e onde. Para ajudar a responder a essa pergunta, vamos elencar algumas características das diversas estratégias e tipos de mídias disponíveis.

Marketing Digital

Essa é uma opção que praticamente toda empresa deve utilizar, independentemente de seu ramo de atividade. Diferentes tipos de público serão melhor impactados por diferentes plataformas digitais: Blogs, redes sociais, websites, youtube… cabe ao gestor se colocar no lugar do seu público e tentar entender o que o atrairia mais, de um artigo em um blog a posts no Facebook , vídeos no Youtube ou imagens postadas no Instagram.

Qualquer que seja a plataforma escolhida, é importante lembrar que o retorno, que inclusive pode ser mensurado, vai depender muito da qualidade e quantidade do conteúdo que se coloque nela, e da utilização de boas práticas de S.E.O (Search Engine Optimization).

Impresso

Mídia impressa pode ser uma ferramenta eficiente, por diversas razões. A primeira é que ela permite ao usuário uma relação tátil e uma maior assimilação com a sua mensagem. A maneira como as pessoas absorvem cada tipo de conteúdo ainda está sendo estudada. Mas já é uma teoria bastante aceita que através da mídia impressa, que temos de ler do início ao fim, a possibilidade de absorvermos o conteúdo, e consequente a informação como um todo, é maior.

Então, quando se tem um grupo de clientes especiais, para quem gostaria de se dar um “mimo”, um catálogo, revista ou livro com um acabamento mais sofisticado continua uma excelente opção. Sem esquecer, é claro, que um conteúdo à altura é fundamental.

Isso quer dizer que a mídia impressa deve ser utilizada somente em pequenas quantidades, em um produto gráfico de alto valor agregado? Não necessariamente. E não estamos falando somente de publicidade em revistas e jornais de grande circulação. Empresas que possuem lojas ou show rooms, que recebem um grande número de visitantes, não devem deixar passar a oportunidade de se comunicar com eles. O fato de já estarem dentro da loja não significa que comprarão naquele momento, ou que o farão no futuro. Então, o melhor é ter uma mídia que essas pessoas possam receber e carregar consigo. E apesar de todo o avanço tecnológico, ainda não inventaram nada mais eficiente que o papel para isso. De um simples tabloide de ofertas a um catálogo ou revista mais sofisticados, o que importa é ter o conteúdo que o público considere relevante.

Solução híbrida, pode?

O marketing que funciona é aquele que as pessoas escolhem prestar atenção. Essa frase de Seth Godin, embora pareça um tanto óbvia, carrega grande sabedoria. O que importa nesse caso é se você vai conseguir chamar a atenção do seu público e conseguir com ele uma conexão. Se você tiver a oportunidade de utilizar ambas as mídias, deve fazê-lo. Mas convém coordenar ambas de uma maneira em que a mídia impressa gere interesse pela digital, e vice-versa.