Young happy creative women having a coffee break.

Inteligência Editorial: o que é?

O poder do conhecimento

Direto ao assunto. O maior gerador de valor para qualquer produto é o conhecimento sobre ele. De um automóvel a um pacote de férias, passando pelos serviços de um médico ou advogado e chegando a um novo equipamento para sua empresa. Só é possível estimar o valor de algo, inclusive para saber se o preço pedido por ele é justo, se temos conhecimento sobre o que estamos tratando.

Logo, se tentássemos resumir em uma única frase a principal tarefa de um gestor de marketing, ela seria: gerar conhecimento sobre os atributos de seu produto, para aumentar a percepção de valor sobre ele.

O desafio da comunicação

Para conseguir cumprir a tarefa de levar o conhecimento ao seu público, o gestor de marketing tem dois desafios: O primeiro deles é atingir o seu público alvo em um ambiente onde inúmeros estímulos concorrem pela atenção das pessoas. O segundo é, uma vez que a mensagem atingiu o seu público, que ela seja aceita, compreendida, e ajude a estabelecer uma conexão entre o consumidor e a marca.

Para as marcas se conectarem aos valores e verdades de seu público, o conteúdo é uma ferramenta de eficácia comprovada. É uma mensagem que a  pessoa, de livre e espontânea vontade,  escolhe receber.

A diferença da inteligência editorial

O trabalho de inteligência editorial é dar ao seu conteúdo aquele “algo a mais”, que não só convida as pessoas a  visitar seu site ou abrir seu catálogo, como entretém e informa ao mesmo tempo.  Dialoga com o leitor a ponto de estimula-lo a retornar àquele conteúdo, ler e reler. Mais do que simplesmente retransmiti-lo, comentar com seus amigos sobre o assunto abordado e o ponto de vista colocado.

O que faz com que um artigo achado em um buscador como o Google ou uma chamada em um portal de notícias seja mais clicado que outros? Ou ainda, que entre centenas de opções disponíveis, uma revista vendida em banca seja comprada no lugar de outra (lembrando que, ao contrário de acessar um determinado site ou link, o ato de comprar uma revista envolve um desembolso feito na hora, o que demonstra o quanto se deseja acessar aquele conteúdo. Especialmente se o mesmo assunto abordado  é noticiado e comentado em inúmeros blogs e sites cujo conteúdo pode ser acessado gratuitamente.

Mas o trabalho não termina aí. Uma vez que o usuário foi atraído pelo convite, que podemos chamar de uma “embalagem” é necessário que o que ele encontra dentro do “pacote”,  o conteúdo, realmente seja considerado relevante por ser útil, informativo, culturalmente enriquecedor ou simplesmente divertido. Se possível, todos esses atributos juntos. A partir do momento em que as pessoas entendem que essas características podem ser achadas no seu conteúdo, cria-se o engajamento. Não só com o conteúdo em si, mas com a sua marca, que o ofereceu.

Sua linha editorial deve estar alinhada com a identidade da sua marca.

O seu blog pode ser muito mais do que uma ferramenta para gerar visitas ao seu site. Como a mídia da sua empresa, ele deve expressar seus valores e verdades, que serão também atribuídos à sua marca, com os quais o seu cliente se identificará. Razão que o levará a  consumir o seu conteúdo.

Ao definir e seguir uma linha editorial para o seu blog, você não só garante que haverá consonância entre os valores de sua marca e a mensagem transmitida, como terá uma “linha mestra” que indicará quais temas devem ser tratados, e qual a abordagem mais adequada para cada assunto.

Textos, vídeos, entrevistas – enriqueça o seu conteúdo

Na web é imprescindível utilizar as melhores práticas do S.E.O (Search Engine Optimization) para selecionar as palavras-chave que devem fazer parte do texto e o tornarão mais amigável aos buscadores do Google. Mas, mais importante que isso, procure tornar seu texto rico,  relevante e principalmente” fluido”, para que antes de informativa, a experiência da leitura seja agradável. Se possível, enriqueça-o com citações de autoridades no tema que você está tratando. Se puder entrevista-las, para garantir a exclusividade daquela citação, seu texto terá ainda mais peso e relevância.

Atraindo e cativando o leitor

Uma vez definida a linha editorial, e escritos textos cativantes e bem trabalhados, como fazer com que as pessoas os leiam? A chamada deve convidar o leitor dando a ele uma prévia do assunto que está sendo tratado na matéria, mas sem necessariamente ser um resumo dela, que antecipe o que o leitor vai encontrar.

Uma das maneiras mais eficientes é utilizar uma imagem forte. Ou combinar frases e imagens, que não necessariamente estão relacionadas entre si ou com o assunto a ser tratado para criar uma mensagem atraente. Se possível, remetendo a referências culturais ou afetivas  do seu público alvo

Para entender esse conceito e tentar aplica-lo, pense nas capas das revistas que se encontra em qualquer banca de jornais. Se as revistas ainda conseguem sobreviver como mídias, sendo vendidas em banca, numa era em que as mesmas informações que elas divulgam e comentam estão disponíveis na web, em tempo real, gratuitamente, muito desse mérito está em capas bem elaboradas.

Exemplos práticos

Um bom exemplo de capa bem elaborada, que tem inteligência editorial , e juntou imagens e frases para uma chamada “matadora” é a da edição 2.484 da Revista Veja, da Editora Abril. A matéria principal falava da polêmica escolha dos eleitores ingleses de abandonar a União Europeia, o “Brexit”. Nela, uma imagem muito associada ao Reino Unido, a Rainha Elizabeth II, aparece acenando, com a frase “adeus, Europa”.

A combinação da frase com a imagem, uma foto que provavelmente foi tirada em outra ocasião, gerou uma mensagem com uma força que nenhuma das duas conseguiria sozinha, “O Reino Unido ‘dando tchau’” o que deve ter estimulado muitos a adquirirem a revista.

Inteligencia Editorial
Combinando frases e imagens, construí-se uma chamada eficiente, capaz de atrair o público.

Também merece elogios o trabalho feito com os cartazes de divulgação da edição, colocados nas paredes externas das bancas de jornal, mostrando a capa da edição e a frase “should I stay or should I go? Go”, parafraseando a letra da canção mais famosa de outro ícone britânico, a banda The Clash.

Outro exemplo, criado pela equipe da Dupla Inteligência Editorial, é a edição 4 do conteúdo dos catálogos da Livraria Saraiva para o dia dos namorados 2016. “Namoro nas Telas. Do cinema aos Smartphones”

A capa é uma montagem com um casal em uma sala de cinema, tendo ao fundo a imagem do Superman e de sua eterna namorada, Lois Lane, em sua mais recente aparição cinematográfica. A chamada faz uma referência bem-humorada com o conteúdo de duas matérias da edição: Uma análise em que casais famosos das telas, como os próprios Superman & Lois Lane (Além de Rick & Elsa do clássico Casablanca, Anna & Kristoff ( Hans) de  Frozen – uma aventura congelante e Hazel Grace e Augustus Walters de A Culpa é das Estrelas ) são colocados “no divã” e analisados pela terapeuta de casais Vânia Pimentel e pelo escritor e Youtuber Frederico Elboni. Na segunda matéria, saindo da ficção e entrando na tecnologia, se aborda a influencia dos aplicativos como o Tinder nos relacionamentos modernos.

chamando a atenção para o seu conteúdo
Exemplo de chamada eficiente utilizando imagens e frases de impacto.

Esperamos que essas dicas ajudem na tarefa de criar conteúdo para seu blog. Caso tenha alguma dúvida, contate a Dupla Inteligência Editorial.