marketing-de-conteudo-nao-e-jaba

Marketing de conteúdo não é “jabá”

O Marketing de conteúdo é uma tendência consolidada e cada vez mais utilizada por diversas organizações. Resumidamente, significa criar e transmitir conteúdo relevante para educar seu público sobre os benefícios tangíveis e intangíveis de sua marca, de modo que isso resulte em maiores vendas.

Existem duas razões muito fortes para se optar por essa estratégia. A primeira delas é que as pessoas mostram uma desconfiança crescente em relação à chamada “publicidade tradicional”, veiculada em jornais e revistas. A segunda é que num ambiente competitivo em que é cada vez mais fácil igualar benefícios tangíveis, oferecer benefícios intangíveis através do valor da marca é uma excelente maneira de se diferenciar da concorrência.

Posto isso, é preciso tomar cuidado com uma armadilha que é comum quando a empresa resolve ter seu site, blog, ou mesmo uma publicação impressa. Confundir o conteúdo orientado a resultados com o puro e simples “jabá”. Essa expressão, originada da indústria musical, é como se convencionou chamar o conteúdo veiculado mais por interesse do que por relevância, numa tentativa de manipular o público. É saudável lembrar que o público é formado por pessoas dotadas de senso crítico, que se sentirão desrespeitadas por tentativas de manipulação.

Isso quer dizer que as empresas não podem falar delas mesmas, educar o público a respeito dos benefícios que oferecem, dos valores que defendem ou mesmo daquilo que consideram fazer melhor do que seus concorrentes? Não só podem, como devem. Ninguém espera que uma empresa patrocine conteúdo que deponha contra a sua marca, ou não seja de seu interesse.  Mas para manter a credibilidade, e conseguir um bom retorno com o marketing de conteúdo, convém seguir algumas regras.

Ser verdadeiro. Quando se tratar de informar um fato objetivo, sempre utilizar informações de fontes com credibilidade, e facilmente verificáveis. Dessa maneira, não só seu conteúdo jamais será colocado em suspeição, como com o passar do tempo será considerado cada vez mais confiável. Credibilidade que será transferida à marca patrocinadora.

Ser transparente. Sempre deixe claro ao público que se trata de um conteúdo patrocinado. E quem o patrocinou. Dessa maneira, tem-se a liberdade de oferecer um conteúdo opinativo. Qualquer um poderá concordar ou discordar dele. Mas jamais poderá alegar que foi manipulado.

A terceira e mais importante regra é ter bom-senso. Marketing de conteúdo significa oferecer ao público conteúdo que ele considera relevante, aproximando dele a sua marca. Não significa utilizar o espaço em que as pessoas esperam encontrar algo de interessante para repetir de maneira incessante e cansativa o nome da marca e seus atributos. Mesmo que sejam seguidas as duas regras anteriores, dificilmente alguém se sentirá atraído a consumir um “conteúdo” como esse, e a sua mensagem se perdeu no ar.